Leonidas Herndl Filho comenta: queda de Ibovespa e Vale

A bolsa brasileira perdeu o patamar dos 47 mil pontos ontem, pressionada principalmente pela queda de Vale. Em Wall Street, nos Estados Unidos, as bolsas também terminaram no vermelho, mas influenciam pouco no movimento do mercado brasileiro. O caso é comentado pelo empreendedor Leônidas Herndl Filho.

A bolsa brasileira perdeu o patamar dos 47 mil pontos ontem, pressionada principalmente pela queda de Vale. Em Wall Street, nos Estados Unidos, as bolsas também terminaram no vermelho, mas influenciam pouco no movimento do mercado brasileiro. O caso é comentado pelo empreendedor Leônidas Herndl Filho.

Segundo especialistas do mercado econômico, o que fez preço por aqui foram as preocupações com uma possível desaceleração do setor imobiliário chinês, depois que o Banco Industrial e Comercial da China parou de conceder empréstimos às incorporadoras do país. As principais commodities tiveram queda nos preços e as ações de mineradoras recuaram na bolsa de Londres.

«A preocupação com a China foi tão forte que o mercado praticamente ignorou a informação de que o país deve bater novo recorde na importação de minério de ferro em 2014», disse Leônidas Herndl Filho.

Ele lembrou que a Vale também esteve sob efeito da expectativa do balanço do quarto trimestre e que os números, que serão divulgados semana que vem, podem ser positivos para a Vale.

O Ibovespa caiu 1,43%, para 46.715 pontos, com volume de R$ 5,306 bilhões. Isso ocasionou a saída de diversos investidores do mercado. Quem continua está operando com tiro curto, fazendo rotação na carteira. Segundo projeções do analista técnico da Clear Corretora, Raphael Figueredo, o Ibovespa acentuou a tendência de baixa ontem, sugerindo próximas paradas nos 46.500 e 46.000 pontos, e objetivo nos 44.100 pontos.

O momento é de tensão e de muito cuidado, tanto para a Vale quanto para  Ibovespa. Contudo, um avanço no próximo trimestre poderia salvar as empresas das perdas atuais. Mas, até o momento, estes fatores positivos são meras especulação do mercado. Só nos basta, por fim, esperar.